Inovação na área da saúde: importância e exemplos explosivos14 min de leitura

Inovação na área da saúde: importância e exemplos explosivos

A saúde percorreu um longo caminho nas últimas décadas. No entanto, ainda há muitas coisas que as instituições médicas podem melhorar, especialmente quando se trata de inovação. Uma área onde a melhoria é extremamente necessária é a inovação.

Neste artigo, discutiremos o valor da inovação na área da saúde e forneceremos alguns exemplos de como ela melhorou o atendimento ao paciente.

Vamos começar.

Inovação versus Invenção versus Melhoria

A ideia de inovação não é novo. Como um conceito emprestado de outras indústrias e com um significado semelhante ao usado em negócios, tecnologia e marketing, esse termo encontrou seu caminho no setor de saúde.

No entanto, as pessoas confundem inovação com tantos termos, dois dos quais são invenção e aperfeiçoamento. Esclarecer:

  • Inovação, em teoria, refere-se ao ato ou processo de introduzir qualquer ideia, dispositivo ou método existente que seja novo para a organização.
  • Invenção, por outro lado, foca mais na criação de um produto nunca visto antes.
  • Enquanto melhoria, alude ao processo de pegar uma ideia existente e melhorá-la, que pode ser qualquer coisa, desde torná-la mais rápida, fácil de usar, mais confiável ou mais eficiente.

Empurrar ou puxar inovação

Quando se trata de inovação, fala-se muito sobre se as organizações devem "empurre ou puxe" isto.

Em outras palavras, eles devem apresentar Novas ideias e tentar forçá-los dentro da organização, ou eles devem esperar que os funcionários apresentem boas ideias para depois apoiá-las e desenvolvê-las?

Você pode observar alguns prós e contras em ambas as estratégias.

  • Impulsionar a inovação pode levar a soluções criativas e novos produtos ou serviços. No entanto, também pode ser visto como uma imposição aos funcionários, que podem não ter tempo ou recursos para criar boas ideias por conta própria.
  • Puxar a inovação permite mais participação e adesão dos funcionários, mas há sempre o risco de que boas ideias sejam perdidas.

Impulsionar a inovação geralmente se refere à abordagem de cima para baixo de apresentar novas ideias e tentar impô-las dentro da organização, implementando uma série de técnicas como debate, estabelecimento de metas ou estabelecimento de um novo departamento comprometido com a inovação.

Por outro lado, a inovação puxada é uma estratégia de baixo para cima que envolve apoiar os funcionários no desenvolvimento de ideias fortes por meio de vários métodos, como fazer caixas de sugestões, pesquisas com funcionários ou designar uma equipe que possa ajudar a revisar e criar inovações em potencial.

Inovação na área médica

No setor de saúde, há muitos exemplos de ambas as abordagens. Um exemplo de estratégia push é a introdução de registros eletrônicos de saúde (EHR).

Em um esforço para padronizar o atendimento ao paciente e melhorar a tomada de decisões clínicas, o governo dos EUA exigiu o uso de EHRs em todas as organizações de saúde. Este foi um careca diretiva que exigia que todos os provedores mudassem a maneira como documentavam o atendimento ao paciente.

Um exemplo de uma estratégia de puxar é o uso de residências médicas centradas no paciente (PCMHs). Nesse modelo, os pacientes estão ativamente envolvidos em seus próprios cuidados, o que demonstrou melhorar os resultados.

Esta é uma abordagem de baixo para cima que depende de os pacientes assumirem um papel ativo em sua saúde.

O que é inovação em saúde?

As inovações em saúde se enquadram na categoria de inovações sociais, que procuram resolver os problemas da sociedade. A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que a inovação em saúde aumenta a produtividade, eficiência, confiabilidade, sustentabilidade, segurança e custo dos serviços de saúde.

Esse termo cobre quaisquer avanços, não importa quão simples ou avançados, que resultam em melhores cursos de ação médica e experiências para os pacientes, incluindo novos e melhores:

  • Procedimentos de saúde
  • Processos
  • Mercadorias
  • Soluções
  • Canais de distribuição
  • Regulamentos
  • Estratégias
  • Produtos

Basicamente, o objetivo dessas inovações é maximizar a capacidade das pessoas de atender às demandas de saúde pública e individual, por meio da otimização da eficácia de todos os sistemas de saúde.

Portanto, as inovações na área da saúde devem fornecer opções extensíveis e atualizações para toda a estrutura de saúde, o que acabará aumentando o acesso geral das pessoas a medicamentos, avaliações de saúde, conscientização, prevenção e defesa.

Por que a inovação em saúde é importante?

A inovação em saúde é valiosa, pois pode levar a um melhor atendimento ao paciente, à melhoria da saúde da população e à redução dos custos de saúde.

  • As inovações em saúde podem melhorar os resultados do paciente fornecendo novas e melhores opções de tratamento, facilitando o acesso dos pacientes aos cuidados e melhorando a coordenação dos cuidados.
  • A inovação também pode levar a melhorias na saúde da população tornando mais fácil para as pessoas viverem estilos de vida saudáveis e fornecendo novas ferramentas para detectar e prevenir o aparecimento precoce de doenças.
  • Finalmente, a inovação em saúde pode ajudar a custos de saúde mais baixos melhorando a eficiência da prestação de cuidados e fornecendo opções de tratamento novas e menos dispendiosas.

Em essência, essas inovações são importantes porque exigirão que as empresas de saúde criem ferramentas melhores para lidar com problemas de saúde em maior escala.

Gargalos na inovação em saúde

Existem três grandes gargalos na inovação em saúde.

Falta de estrutura

Um dos principais gargalos para a inovação em saúde é a falta de um esforço coordenado para trazer novas ideias ao mercado. Na maioria das indústrias, existe um processo bem definido para levar novos produtos do conceito ao mercado.

No entanto, na área da saúde, o processo é muitas vezes mais esporádico.

Com diferentes partes interessadas trabalhando independentemente em novas ideias, ocorre uma duplicação de esforços e uma falta de coordenação. E isso pode atrasar ou impedir que novos produtos cheguem aos pacientes.

Cenário regulatório

estrutura burocrática é outro impedimento para a inovação em saúde.

Obter a aprovação da Food and Drug Administration (FDA) para a produção e liberação de novos medicamentos é um processo demorado e complexo, dificultando a entrada de novos produtos no mercado em tempo hábil.

Além disso, o sistema de reembolso nos Estados Unidos muitas vezes não oferece incentivos financeiros adequados para que as empresas de saúde invistam em novos produtos. Essa limitação tende a dificultar a obtenção de novos produtos, mesmo que sejam capazes de obter a aprovação do FDA.

Custos

O último grande gargalo para a inovação em saúde é uma falta de fundos.

A maioria das startups de saúde não consegue atrair o mesmo nível de capital de risco que outras indústrias. Essa situação é o que complica a aquisição dos recursos necessários para trazer novos produtos ao mercado.

Finalmente, o alto custo do desenvolvimento de novos tratamentos médicos é uma grande barreira para a inovação em saúde. O desenvolvimento de novos medicamentos e dispositivos médicos pode custar bilhões de dólares.

Isso torna difícil para as pequenas empresas trazer novos produtos ao mercado.

Grandes exemplos de inovação em saúde

Apesar desses desafios, há muitos exemplos de inovações em saúde que tiveram um impacto positivo nos pacientes e no sistema de saúde.

1. Usando drones para entregar suprimentos médicos

Um exemplo de inovação em saúde que está tendo um impacto positivo é a implantação de drones para transportar recursos médicos.

Algumas organizações usam drones para entregar suprimentos médicos a áreas remotas e zonas de desastre, onde podem fornecer assistência necessária às pessoas necessitadas.

Um exemplo disso é a UPS. Esta empresa de serviços de entrega com sede nos Estados Unidos utilizou drones autônomos para a entrega de amostras médicas essenciais entre duas filiais de um hospital em Raleigh, Carolina do Norte.

Embora um corredor rápido pudesse ter percorrido a distância quase tão rapidamente quanto os drones, o experimento foi bem-sucedido como um prova de conceito. E em outubro, a FAA deu à empresa permissão para expandir para 20 hospitais nos Estados Unidos nos dois anos seguintes.

2. Usando modelos 3D para cirurgias

Outro exemplo de inovação na área da saúde que está causando impacto positivo é o uso de modelos 3D para cirurgias. A tecnologia de impressão 3D está sendo usada para criar modelos de órgãos de pacientes, que os cirurgiões podem usar para planejar e praticar cirurgias complexas.

O Intermountain Medical Center Urological Institute desenvolveu um modelo impresso em 3D de um rim humano que os médicos podem utilizar para planejar cirurgias e explicar ao paciente os meandros da cirurgia e os procedimentos que eles precisam fazer para erradicar o tumor e preservar o rim.

Eles criaram uma representação 3D do rim maligno de um paciente convertendo suas tomografias computadorizadas brutas em um arquivo digital como uma planta, e sua equipe reproduziu esse modelo 3D em duas metades claras para que os médicos especialistas possam determinar com precisão como o tumor se prendeu ao rim .

Essa inovação é importante porque pode ajudar os cirurgiões a evitar erros durante a cirurgia e melhorar o resultado de procedimentos complexos.

3. Usando robôs de inteligência artificial para tratamentos cardíacos

Alguns cirurgiões usam robôs de IA para auxiliar na realização de cirurgias cardíacas minimamente invasivas.

Feito pela Intuitive Surgical, o equipamento robótico denominado Da Vinci Surgical System permite que os cirurgiões operem com maior precisão e controle.

Oferece imagens 3D de alta definição que são dez vezes mais ampliadas do que o olho humano pode perceber, proporcionando aos cirurgiões uma perspectiva muito clara da área em que precisam operar.

Por causa do console de controle e visualização do sistema, carrinho de visão para fixar endoscópios para confirmação virtual e unidade de braço manipulador com três a quatro braços, os cirurgiões podem usar instrumentos pequenos e semelhantes a humanos que têm uma amplitude de movimento muito maior do que suas mãos.

4. Usando a realidade virtual para reabilitação

A realidade virtual (VR) é outra inovação de saúde que está mudando a vida de pacientes e profissionais médicos. Alguns centros de reabilitação usam a RV para ajudar os pacientes que se recuperam de derrames ou outras condições neurológicas retreinar seus cérebros e aprender novas habilidades.

Por exemplo, uma empresa, chamada Limbix, desenvolveu uma plataforma de RV que usa os fones de ouvido Google Cardboard para fornecer às pessoas experiências imersivas que podem ajudá-las a superar várias condições de saúde mental.

Essa plataforma oferece uma ampla variedade de ambientes virtuais, incluindo locais do mundo real e mundos de fantasia, que podem ser usados para expor as pessoas aos seus medos de maneira segura e controlada.

Como resultado, esse tipo de reabilitação pode ajudar os pacientes a superar suas fobias e alcançar uma melhor qualidade de vida.

5. Usando uma pulseira para detectar impulsos elétricos

Pesquisadores desenvolveram um novo dispositivo vestível que pode detectar maior capacidade de resposta da pele que indica estresse e ajuda a detectar convulsões potencialmente letais, epilepsia e outras condições psiquiátricas e neurológicas.

A pulseira, chamada Embrace, usa algoritmos de aprendizado de máquina para interpretar dados coletados por sensores que medem a atividade elétrica na superfície da pele, particularmente movimento corporal, temperatura, pulso de rastreamento e EDA.

O Embrace funciona vibrando quando detecta uma convulsão, permitindo que o usuário reaja e responda.

No entanto, se o usuário perder a consciência, o aplicativo conectado à pulseira notificará um indivíduo específico - um cenário que a empresa por trás do produto observou, pois ocorre com as convulsões mais perigosas.

Esta pulseira permite que pesquisadores de epilepsia coletem informações em tempo real de pacientes epilépticos.

O dispositivo monitora com precisão os sinais de estresse da resposta simpática do sistema nervoso autônomo, que se relaciona com as reações de luta ou fuga associadas ao estresse e às convulsões.

Como resultado, a pulseira é útil na pesquisa de várias doenças neurológicas, incluindo ansiedade, TEPT, autismo, depressão e muito mais. Dessa forma, os médicos podem diagnosticar condições neurológicas mais cedo e fornecer aos pacientes tratamentos mais eficazes.

Software de inovação para inovação em saúde

O software de inovação em saúde ajuda os profissionais de saúde a desenvolver e gerenciar novos projetos, produtos e serviços. Também pode ajudar a avaliar a viabilidade de novas ideias e acompanhar o progresso de novas iniciativas.

Um poderoso software de inovação como o Accept Mission também pode fornecer uma variedade de ferramentas para ajudar no planejamento e execução de inovações em saúde, incluindo modelos, gráficos e outros mecanismos necessários nas seguintes áreas:

  • Coletando ideias para importantes desafios de saúde
  • Gerenciando todas as ideias e fornecedores de produtos e serviços interessantes
  • Apresentar informações para um processo de tomada de decisão confiável e abrangente
  • Promover a colaboração e a comunicação entre os membros da equipe
  • Gerenciamento de portfólio de todas as iniciativas relacionadas com a saúde
  • KPIs de rastreamento

Comece a desenvolver as melhores ideias para inovação em saúde hoje. Reserve uma demonstração com Accept Mission agora e obtenha acesso às ferramentas, painéis e casos de uso da plataforma para começar.

Publicado em: Novembro 1st, 2022Categorias: Innovation strategy

Publicações relacionadas