Top-Down Vs. Bottom-up Innovation: Compromisso de Inovação11 min de leitura

Top-Down Vs. Bottom-up Innovation: Compromisso de Inovação

Compromisso de inovação é necessário para que as empresas inovadoras se mantenham competitivas e sustentem o crescimento.

Ter todos a bordo, independentemente do seu nível de participação no processo de inovação, é uma componente vital para o exercício da visão da sua empresa.

Com os membros da equipa unidos no aproveitamento das capacidades e criatividade organizacionalSeguem-se a gestão e execução bem sucedida de iniciativas de inovação.

Assim, como gestor de projecto da empresa, é-lhe exigido que compreenda como pode utilizar a estrutura organizacional para efectivamente assumir riscos e ultrapassar desafios.

Desta forma, pode tornar-se uma empresa inovadora capaz de formar equipas de engenharia que colaborem na decisões informadas para alcançar os objectivos da empresa.

Para começar, há três tipos principais de estratégias de envolvimento na inovação que é necessário aprender: o estilo de gestão de cima para baixo, a abordagem de baixo para cima e a abordagem híbrida.

Neste artigo, iremos analisar as diferenças entre estes três e determinar qual a abordagem de gestão que se adequa ao seu negócio.

Vamos começar.

Qual é a abordagem de cima para baixo da inovação?

A inovação de cima para baixo centra-se na criação de um ambiente que permita a desenvolvimento de ideias de líderes empresariais e outros membros da gestão de topo.

Conhecida como a abordagem tradicional à inovação, o estilo de gestão de cima para baixo reconhece gestores como únicos decisores da organização quando se trata de actividades de inovação.

Os líderes empresariais irão procurar activamente promissor oportunidades de inovação e dirigir recursos para elas.

Estabelecerão então a direcção, planos e projectos da empresa, enquanto todos os outros seguem o exemplo.

Neste tipo de compromisso de inovação, o gestão de topo cria o metasobjectivos, e estratégias que impulsionará a inovação de forma eficaz.

Enquanto o resto da equipa, no entanto, a executa.

Uma das mais famosas organizações a focar e a ter sucesso neste tipo de gestão é a Apple.

Como se viu nos seus produtos de maior sucesso, a direcção de topo do gigante tecnológico, em particular Steve Jobs, dirigiu e supervisionou o desenvolvimento do iPod, iPhone, e Macintosh.

Enquanto as equipas de engenharia da empresa se concentravam na entrega de produtos.

Vantagens e desvantagens da abordagem de cima para baixo

A principal vantagem da abordagem de cima para baixo da inovação é que ela permite a rápida implantação de iniciativas de inovação.

Isto significa que as ideias podem ser realizadas de forma rápida e eficiente, assegurando ao mesmo tempo que são atribuídos recursos às áreas de maior relevância para a empresa.

Devido a isso, a imprecisão e confusão são mínimas devido à centralização processo de tomada de decisão.

Assim, há uma grande compreensão e coesão na execução campanhas de inovação e outras actividades.

Esta visão mais definida é consideravelmente mais simples de realizar, e a comunicação não é complicada nem sobrecarregada por numerosas modificações e pontos de vista.

No entanto, a abordagem de cima para baixo pode ser restritivo avesso ao risco.

Sem a possibilidade de ouvir qualquer outro input, a empresa pode ter dificuldade em lidar com imprevistos questões e oportunidades.

Além disso, as inovações de cima para baixo proporcionam menos oportunidades para colaboração criativa, uma vez que toda a comunicação flui dos chefes de equipa para membros com pouco ou nenhum espaço de discussão.

Com efeito, esta diminuição da colaboração interdepartamental pode, a dada altura, dificultar a inovação.

Além disso, apela a uma acção pró-activa para manter uma sensação de noivado, ligação, e respeito entre os empregados não dirigentes.

Assim, outros membros da equipa podem sentir que as suas ideias não são bem-vindas e que os seus contributos não são de todo valorizados.

Isto cria um fosso inevitável entre os funcionários e a organização, que pode então resultar em decisões mal informadas e projectos mal sucedidos.

Qual é a abordagem da base para o topo?

O estilo de gestão de baixo para cima enfatiza o importância de permitir que as ideias e iniciativas venham de empregados.

Esta abordagem à inovação demonstra como as empresas incluem todos no processo de inovação.

A equipa de gestão cria ambientes que encorajar os empregados a partilhar as suas ideias.

Envolvem todos os membros da equipa no quadro geral. Recusam-se a excluir qualquer pessoa que possa fornecer feedback e contribuir para o seu sucesso.

Como a abordagem ascendente está aberta à experimentação de ideias e soluções geradas dentro da organização, a empresa pode então capitalizar o conhecimento e perícia existentes.

Podem exercer a sua capacidade de criar novo valor através alavancagem a inteligência colectiva da sua organização como um todo.

Isto pode significar investir em processos que fomentem colaboração da equipa. Não apenas para a concepção de produtos, desenvolvimento de software, e criação de novas tecnologias.

Mas também para fazer mudanças incrementais e outras pequenas medidas coordenadas que irão contribuir significativamente para a indústria.

Exemplo de uma abordagem de inovação da base para o topo

As grandes organizações também podem utilizar a abordagem ascendente. Um exemplo disto é o Google:

Onde os engenheiros estão na vanguarda da agenda de inovação da empresa e são capazes de fazer um enorme influência sobre a organização sucesso da inovação.

Isto foi particularmente verdade nos primeiros anos do negócio, e esta estratégia ajudou a Google a desenvolver-se e expandir-se rapidamente.

No entanto, a direcção assumiu inevitavelmente um controlo mais forte à medida que a empresa foi crescendo.

Especialmente sobre produtos significativos e lucrativos como a sua pesquisa, anúncios, e operações no YouTube.

No entanto, a Google continua a levar este método dirigido por engenheiros à inovação em numerosos aspectos da empresa, permitindo aos engenheiros a flexibilidade para experimentar coisas novas e construir grandes aspirações para inovação.

Vantagens e desvantagens da abordagem ascendente

principal vantagem de utilizar a abordagem ascendente é que permite o livre fluxo de ideias e criatividade de qualquer pessoa da organização.

Isto significa que todos, quer sejam gestores ou funcionários, são encorajados a partilhar as suas perspectivas e a colaborar uns com os outros no desenvolvimento soluções inovadoras.

Além disso, a abordagem de baixo para cima é mais eficiente em termos de estabelecer uma comunicação bidireccional dentro da empresa.

Será mais fácil para os membros da equipa abordar os chefes com as suas perspectivas únicas, resultando num maior nível de empenho e envolvimento nas tarefas que estão a ser empreendidas.

Além disso, isto também dá aos empregados um sentido de valor e alinhamento com expectativas, pois entendem o quão vital é o seu papel na processo de inovação.

Isto encoraja uma maior responsabilização e oportunidades de participação, o que ajuda a aumentar o moral dos empregados e produtividade.

Contudo, a abordagem da base para o topo também tem as suas desvantagens.

Uma desvantagem deste método seria a dificuldade que ele apresenta em termos de controlo, o que pode levar à apresentação de demasiadas ideias ao mesmo tempo.

Como resultado, o processo pode ser esmagador e difícil de gerir porque exige que tanto a liderança como o pessoal sejam altamente organizados.

A abordagem de baixo para cima pode alongar todo o processo de inovação uma vez que as ideias têm de ser cuidadosamente avaliadas antes do processo de seleção pode até começar.

Isto porque algumas ideias podem não ser adequadas para a organização devido à sua natureza e outras considerações que podem não se enquadrar de todo com a marca.

Um exemplo perfeito disto é como um arranque pode não ter os recursos nem a capacidade de implementar certas ideias:

Uma limitação que restringe o tipo de ideias que as empresas podem aceitar, por muito boas que sejam.

Ou seja, nem todas as ideias viáveis serão implementadas, o que pode dificultar a organização de usufruir de benefícios tangíveis que poderiam ter impulsionado a sua crescimento e desenvolvimento futuro.

Por último, os empregados podem não ter a perícia ou os conhecimentos necessários para desenvolver ideias de alta qualidade.

No entanto, as organizações podem mitigar este risco fornecendo formação e outros recursos de apoio para facilitar a qualidade da idealização e inovação dentro da empresa.

Abordagem híbrida

Uma abordagem híbrida é quando se utiliza ambos os métodos de inovação de cima para baixo e de baixo para cima.

Naturalmente, com esta abordagem, as organizações podem beneficiar das vantagens de ambos os métodos enquanto atenuam as suas respectivas desvantagens.

A abordagem híbrida permite também que a gestão superior seja o motor da estratégia de inovação, ao mesmo tempo que dá aos empregados a liberdade de desenvolver e partilhar ideias.

Também permite às organizações tirar partido da engenhosidade dos seus empregados, ao mesmo tempo que exercem controlo sobre o que a organização consegue implementar.

Globalmente, a abordagem híbrida é uma óptima forma de as organizações promoverem engajamento de inovação de uma forma holística e abrangente.

Ao combinar as abordagens de cima para baixo e de baixo para cima, as organizações podem criar um ambiente que encoraja colaboração e inovação de todos os níveis de empregados.

Tudo isto enquanto ainda é capaz de controlar eficazmente a qualidade das ideias antes e depois do processo de inovação.

Em última análise, a utilização de uma abordagem híbrida é uma óptima forma de as organizações usufruírem dos benefícios combinados da inovação que advêm do pensamento inovador dos seus empregados e da sua autoridade como líderes empresariais.

Combinando as abordagens de cima para baixo e de baixo para cima, as empresas podem fomentar uma atmosfera que apoie o estabelecimento de um cultura de inovação enquanto ainda mantém a liderança.

Desta forma, as empresas podem assegurar que os seus esforços de inovação sejam bem sucedidos e que os seus empregados estejam empenhados e motivados para soluções inovadoras.

Conclusão

Em conclusão, as organizações devem considerar a utilização de uma abordagem híbrida para fomentar o envolvimento na inovação.

A integração tanto de cima para baixo como de baixo para cima pode ajudar as empresas a promover uma cultura de colaboração e criatividade, mantendo ao mesmo tempo a autoridade de gestão e de tomada de decisões.

Desta forma, as organizações podem beneficiar das vantagens de ambos os métodos ao mesmo tempo que gerem gradualmente os seus inconvenientes para um crescimento máximo.

Melhore o seu compromisso de inovação com a Accept Mission hoje. Descarregue o nosso e-book de inovação hoje para saber mais.

Publicado em: Dezembro 12th, 2022Categorias: Innovation management

Publicações relacionadas