No mundo de ideação e resolução de problemas, existem dois conceitos diferentes aplicados pela maioria das organizações — pensamento convergente e divergente.

Mas o que esses termos significam? O que os torna diferentes?

Neste artigo, você aprenderá seis fatores que os separam um do outro. Você também pode dar uma olhada em como usar essas duas escolas de pensamento em seu processo de ideação.

Vamos começar!

O que é pensamento convergente?

O pensamento convergente é um termo que se concentra na busca de uma maneira única e correta de resolver qualquer problema por meio de um conjunto de avanços específicos e coerentes. No conceito de pensamento convergente, as respostas estão erradas ou certas, com zero imprecisão entre elas.

Em outras palavras, esse tipo de pensamento limita as opções examinando possíveis alternativas.

Dessa forma, as empresas podem determinar qual método funciona melhor na resolução de problemas, pois cada opção é analisada em relação às restrições, condições, recursos e critérios existentes na empresa.

Diferença de pensamento convergente e divergente na ideação<span class="wtr-time-wrap after-title"><span class="wtr-time-number">11</span> min de leitura</span>

O pensamento convergente também é referido como raciocínio lógico ou ascendente.

Leva em consideração todos os fatos e os estuda teoricamente para identificar a maneira mais adequada e única de abordar os problemas.

Assim, um indivíduo que aplica o pensamento convergente visa restringir as opções e distinguir uma solução única e comprovável para qualquer problema usando velocidade, lógica e precisão. Significado, apenas uma solução será implementada no fim.

Quais são alguns exemplos de pensamento convergente?

O pensamento convergente é exibido em diferentes áreas. No mundo dos negócios, as soluções possíveis são criteriosamente avaliadas para entender e decidir qual opção melhor se adapta aos objetivos e recursos da organização.

Em termos de inovação, as ideias são testadas e experimentadas para ver qual conceito corresponde ao seu inovação Objetivos. Assim, esse tipo de raciocínio permite que os funcionários concentrem todo o seu tempo e energia no refinamento de uma única sugestão que será executada em tempo hábil.

Além disso, os experimentos observam uma série de etapas comprovadas e existentes que levam as equipes de inovação a reaplicar técnicas prontamente disponíveis e outro informações armazenadas em fazer procedimentos padrão dentro da empresa.

O que é pensamento divergente?

O pensamento divergente envolve a compreensão de todos os fatores por trás de um problema específico enfrentado pela empresa. Ele encontra novas oportunidades e maneiras de resolver problemas intratáveis ou qualquer coisa que desafie o status quo da empresa.

Aplicar esse tipo de pensamento é benéfico no sentido de que inspira e motiva os funcionários para compartilhar seus insights na resolução de problemas.

Significado, é leva em consideração a diversidade pois usa múltiplas perspectivas no estudo de soluções inovadoras e outras possibilidades inovadoras.

Diferença de pensamento convergente e divergente na ideação<span class="wtr-time-wrap after-title"><span class="wtr-time-number">11</span> min de leitura</span>

A propósito, se você precisar de ajuda com o engajamento dos funcionários, temos aqui um e-book de inovação completo que mostrará como engajar os funcionários, bem como medir o engajamento em si. Confira o e-book gratuito aqui.

Entendendo o quão receptivo é o pensamento divergente ao aceitar sugestões, esse conceito permite o aprendizado para todos os indivíduos da organização. Além disso, esse tipo de pensamento é aplicado em ambientes espontâneos onde cultura de inovação é praticado.

Assim, com o pensamento divergente, soluções poderosas são formadas à medida que ideias e conhecimentos são combinados para gerar conceitos avançados e progressivos. Com efeito, a criatividade é reforçada ainda mais pela natureza não linear e impetuosa do conceito.

Quais são alguns exemplos de pensamento divergente?

As empresas que implementam um cultura de inovação usar o pensamento divergente em sessões de ideação onde os participantes são encorajados a expressar suas ideias e opiniões ao lidar com problemas e oportunidades.

Isso geralmente acontece em fóruns de brainstorming e em outros estágios iniciais de ideação.

Quando você encontra um desafio e precisa encontrar várias soluções, ou quando entra nas fases de validação do seu trabalho, está aplicando um pensamento divergente no processo.

Além disso, quando você explora vários conceitos junto com seus stakeholders e público-alvo, você se aprofunda na consideração de quais produtos e serviços funcionarão mais para eles – e isso também é um pensamento divergente em ação.

Quais são as diferenças entre pensamento convergente e divergente?

Para entender as diferenças entre esses dois termos, o ideal seria discuti-los lado a lado por meio de vários pontos focais.

Número de soluções

O pensamento convergente considera apenas uma solução para um problema. Ele apaga todas as alternativas possíveis e se concentra em uma única rota.

O pensamento divergente, por outro lado, estuda várias maneiras de abordar um problema juntamente com um objetivo de produzir diferentes conceitos de inovação.

Direção do processo de pensamento

O pensamento convergente é uma medida direta que se concentra em encontrar a melhor resposta para um problema. Enquanto o pensamento divergente é não linear, pois explora várias opções e tenta diferentes possibilidades.

Métodos aplicados

O pensamento convergente leva em consideração os métodos avaliados recentemente e os reaplica junto com os dados prontamente mantidos. Também se limita a uma abordagem solitária.

Ao contrário, o pensamento divergente determina novos cursos de ação independentemente dos procedimentos existentes. Ele vê o problema através de várias lentes, criando um número ilimitado de soluções, não importa o quanto não estejam relacionadas.

Ambiguidade

O pensamento convergente ajuda a descobrir a resposta mais ideal para qualquer problema – uma que é mais frequentemente precisa e não tem espaço para imprecisão.

No entanto, o pensamento divergente defende alternativas possíveis e se recusa a identificar uma resposta única e precisa.

Receptividade

O pensamento convergente vê uma resposta como 100% errada ou 100% certa. Acredita que o mundo é preto ou branco, sem outras cores e possibilidades no meio.

Enquanto isso, o pensamento divergente é uma abordagem mais flexível, pois aceita outros remédios.

Elementos

Por causa de suas visões tradicionais, o pensamento convergente enfatiza apenas três elementos:

  • Velocidade. Os pensadores convergentes gostam de se mover rápido escolhendo uma abordagem singular. De fato, quando um método se mostra eficaz na solução de um problema, os pensadores convergentes o aplicam imediatamente, em vez de perder tempo. gerando novos caminhos de abordá-lo.
  • Precisão. Os líderes empresariais que pensam de forma convergente aderem ao conceito “completamente errado ou certo”. Assim, eles acreditam na precisão do método escolhido, mantendo-o como a única forma eficaz de abordar a questão.
  • LógicaLíderes de inovação com uma forma convergente de pensar seguir estritamente e observar seu curso de ação selecionado. Etapas coesas para alcançar o sucesso da inovação são pré-determinadas e executadas perfeitamente, sem alternativas a serem analisadas.

Devido à sua natureza multifacetada, o pensamento divergente destaca oito elementos diferentes:

  • Complexidade. Por considerar muitas soluções, pensadores divergentes têm a capacidade de conceituar ideias complexas. Eles estão analisando todas as possibilidades ao tentar alcançar um objetivo específico.
  • curiosidade. Organizações com uma forma de pensar divergente demonstram uma enorme curiosidade em testar práticas e identificar novas informações sobre um determinado tópico.
  • Elaboração. Como não estão vinculados a um único caminho, equipes de inovação divergentes são capazes de construir e aprimorar seus atuais conceitos de inovação. Sempre que surgem novas ideias, as modificações são cuidadosamente inseridas em projetos já existentes da empresa.
  • Flexibilidade. Isso se refere à capacidade de pensadores divergentes de ver os problemas através de diferentes lentes e criar uma gama diversificada de soluções para responder aos desafios existentes encontrados pela organização.
  • Ingenuidade. Líderes de inovação que pensam de forma divergente podem incitar inúmeras atividades para aumentar o número de ideias que a equipe tem para inovar. Eles gostam de receber inúmeras sugestões e propostas para realizar projetos de inovação.
  • inventividade. O pensamento divergente é o que impulsiona as empresas em uma direção de fluxo livre. Como resultado, seus funcionários têm a capacidade de conceituar conceitos novos e únicos que podem levar a produtos inovadores, serviços e mudanças organizacionais.
  • Novidade. Quando as organizações criam uma cultura de inovação em que as pessoas são constantemente encorajadas a apresentar e compartilhar suas ideias incrivelmente novas e excêntricas, produtos e serviços que nunca antes foram vistos podem surgir em um determinado momento.
  • Abertura ao risco. Os pensadores divergentes gostam de encontrar maneiras não tradicionais de lidar com problemas. Essa qualidade os torna naturais para assumir riscos. Eles estão abertos a aplicar métodos não comprovados, mesmo em caráter experimental.

Use o pensamento convergente e divergente para gerar ideias

O pensamento convergente é bem definido e estruturado, enquanto o pensamento divergente é fluido e abstrato. Se você pensar sobre isso, essas são duas maneiras distintas de pensar que podem competir uma com a outra.

Diferença de pensamento convergente e divergente na ideação<span class="wtr-time-wrap after-title"><span class="wtr-time-number">11</span> min de leitura</span>

Mas aqui está um grande segredo para lembrar:

Nenhum deles é melhor que o outro. Ambos são incrivelmente vitais e significativos para o trabalho criativo e a resolução de problemas, o que significa que podem trabalhar juntos para criar resultados magníficos.

Veja como você pode fazer isso.

Aplique o pensamento divergente nos primeiros passos

O pensamento divergente pode ser esmagador para equipes de inovação que não necessariamente se orgulham de serem criativas. No entanto, diversas origens e conhecimentos podem ser usados como uma forma de gerar conceitos imaginativos.

Assim, os líderes de inovação devem implementar uma cultura de inovação, onde os funcionários sejam livres para explorar e compartilhar seus lados criativos. Incentive-os a expressar suas ideias e documentá-las.

Depois, discuta as sugestões com o restante da equipe.

Se você é um gerente de inovação, pode criar sessões colaborativas tanto com os membros como com as partes interessadas. Dessa forma, você pode aprimorar as habilidades de ideação, brainstorming e design thinking de todos.

Você também pode optar por trazer especialistas internos e externos para adquirir conhecimento sobre as plataformas disponíveis e identificar as mudanças necessárias em seus processos existentes. Na verdade, você pode revisar e sintetizar suas descobertas atuais de pesquisa.

Finalmente, melhore tudo com convergência

Agora que você tem uma lista de ideias, é hora de ajustá-las à solução definitiva. É aqui que você pode implementar as mudanças encontradas nas partes iniciais do processo de ideação.

Com o pensamento convergente, você pode restringir sua lista e levar em consideração certos fatores, como preferências do cliente, orçamento, mão de obra, prazo e muitos outros. Defina um conjunto de critérios e avalie cada sugestão por meio dele.

Você pode colocar sua equipe a bordo usando plataformas de inovação com recursos de votação e pontuação. Selecione o que mais ressoa com seu público e qual opção se encaixa perfeitamente em suas estratégias.

Ambas as escolas de pensamento podem ajudar muito com a ideação. Mas se você quiser saber mais sobre gerenciamento de ideias, você pode baixar o guia definitivo para gerenciamento de ideias inteiramente de graça.